EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Será o fim do bipartidarismo em Espanha?

Será o fim do bipartidarismo em Espanha?
Direitos de autor 
De  Euronews com Reuters, EFE, AFP, Lusa
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

O bipartidarismo em Espanha pode acabar nas eleições locais e regionais deste domingo. As duas forças que dominam a política desde a restauração da democracia vão certamente ceder espaço e provavelmen

PUBLICIDADE

O bipartidarismo em Espanha pode acabar nas eleições locais e regionais deste domingo. As duas forças que dominam a política desde a restauração da democracia vão certamente ceder espaço e provavelmente algum poder aos partidos que nasceram do movimento dos “indignados” no sufrágio há 4 anos.

Após anos de austeridade e sucessivos escândalos de corrupção, o Partido Popular (PP), do primeiro-ministro Mariano Rajoy, deve perder parte do apoio que lhe permitiu governar 11 das 13 comunidades que renovam os parlamentos regionais. Mas a anunciada queda dos conservadores não deve beneficiar os socialistas, como acontecia no passado.

Se o PP deverá assistir a uma fuga de votos para o ‘Ciudadanos’, o PSOE enfrenta a ameaça do ‘Podemos’. Albert Rivera e Pablo Iglesias, que tem mais seguidores no Twitter do que Rajoy, esperam capitalizar o voto dos jovens, os mais fustigados pelo desemprego, que atinge mais de 20% da população ativa.

A luta pela capital também desperta muita atenção. Esperanza Aguirre, um dinossauro político do PP, regressou à atividade mas enfrenta forte oposição da plataforma de esquerda Ahora Madrid, liderada pela juíza na reforma, Manuela Carmena. O mesmo se passa em Barcelona, onde o nacionalista Xavier Trias é ameaçado por Ada Colau, a ‘musa’ dos indignados, que também fundou a plataforma contra os despejos.

Em resumo, o enviado da euronews, Carlos Marlasca, afirma que “a campanha, centrada nos ataques e parca em propostas, abriu a porta a umas eleições com os resultados mais imprevisíveis em quase quatro décadas de democracia em Espanha”. O sufrágio pode confirmar o surgimento de Ciudadanos e Podemos como alternativa democrática e será um grande teste às formações tradicionais tendo em vista as eleições gerais, lá mais para o final do ano, que ainda têm de ser marcadas.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Málaga limita licenças de alojamento turístico para fazer descer preços das rendas

Novo naufrágio perto de Tenerife faz pelo menos 5 mortos. 68 migrantes foram resgatados com vida

Felipe VI de Espanha celebra dez anos de reinado