Última hora

Última hora

Blatter deverá ser reeleito apesar de escândalo de corrupção na FIFA

Blatter deverá ser reeleito apesar de escândalo de corrupção na FIFA
Tamanho do texto Aa Aa

A FIFA elege hoje um presidente, num escrutínio indissociável do escândalo de corrupção que abala a Federação Internacional das Associações de Futebol.

Alheio às vozes que pedem o seu afastamento, Joseph Blatter mantém a candidatura para um quinto mandato consecutivo à frente da organização que dirige desde 1998.

O suíço nega responsabilidades no caso, apesar de reconhecer que a FIFA passa por tempos difíceis:

“Os próximos meses não serão fáceis para a FIFA. Tenho a certeza de que se seguirão mais más notícias, mas é necessário para começar a restaurar a confiança na nossa organização. Que este seja o ponto de viragem.”

Depois de pedir a demissão de Blatter, a UEFA fez saber que vai apoiar o único rival, o príncipe Ali bin Al-Hussein da Jordânia, tendo convencido vários outros países, como explicou o presidente da Associação Holandesa de Futebol, Michael van Praag:

“Depois do discurso do príncipe Ali e também a pedido do presidente [da UEFA Michel] Platini, decidimos apoiar o príncipe Ali. Não diria de forma unânime, mas com uma bastante grande maioria.”

Apesar do escândalo ter dado uma oportunidade mais realista ao príncipe jordano – num escrutínio que estava, até à pouco tempo, ganho de antecipação por Blatter – o presidente da FIFA deverá, mesmo assim, conseguir manter-se no cargo.