Nuclear iraniano: novo prazo aproxima-se mas divergências persistem

Nuclear iraniano: novo prazo aproxima-se mas divergências persistem
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Ainda não há acordo à vista acerca do nuclear iraniano. A aproximação do novo prazo final não parece, no entanto, traduzir-se numa aproximação de

PUBLICIDADE

Ainda não há acordo à vista acerca do nuclear iraniano. A aproximação do novo prazo final não parece, no entanto, traduzir-se numa aproximação de posições entre Teerão e as grandes potências, que se reúnem em Viena.

O ministro iraniano dos Negócios Estrangeiros reconheceu que “persistem algumas divergências”.

Já a chefe da diplomacia europeia, Federica Mogherini, frisou que “se é possível chegar a acordo, é o momento. As decisões políticas devem ser tomadas agora”.

Ultrapassa a data limite inicial, de 30 de junho, todos os intervenientes concordaram em dar mais uma semana, até 7 de julho, para obter um acordo. Mas pouco parece ter mudado.

O secretário de Estado norte-americano disse que “nos últimos dias, foram feitos progressos reais”. Mas John Kerry frisou que, “em vários dos assuntos mais difíceis”, ainda não há convergência.

Depois de um primeiro atraso, muitos questionam se será desta que o Irão e as grandes potências conseguem realmente obter um compromisso.

A correspondente da euronews, Reihaneh Mazaheri, diz que “com o regresso dos chefes da diplomacia às negociações em Viena, o debate sobre um eventual acordo sobre o nuclear tem aquecido. Mas se os negociadores falam em progressos, também destacam várias questões que continuam por responder e resolver, que podem novamente alargar o prazo das discussões”.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Otimismo domina negociações sobre programa nuclear iraniano

Celebração ou preocupação: como é encarado o ataque de Israel no Irão?

Navio capturado pelo Irão tem bandeira portuguesa. Portugal "aciona" diplomacia em Teerão