Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

"Horas decisivas" nas negociações sobre o programa nuclear iraniano

"Horas decisivas" nas negociações sobre o programa nuclear iraniano
Tamanho do texto Aa Aa

O otimismo parece dominar as negociações. O acordo sobre o programa nuclear do Irão já devia ter sido alcançado até ao dia 30 de junho. O prazo já foi prolongado duas vezes.
Mas os negociadores que estão em Viena, na Áustria, mostram vontade de resolver o impasse. O Secretário de Estado norte-americano garantiu esta manhã que “as reuniões foram muito positivas”. John Kerry disse ainda que “estão a ser tomadas decisões importantes, concretas, por isso mantém a esperança.

A responsável máxima dos Negócios Estrangeiros da União Europeia, Federica Mogherini, publicou no Twitter uma mensagem a garantir que estas são “horas decisivas”.

https://twitter.com/FedericaMog/status/620169165450682370

“Noventa e oito por cento do texto está terminado”, afirmou uma fonte próxima das negociações no sábado à noite.

Este possível acordo entre o Irão e os negociadores do grupo 5 1: Reino Unido, Alemanha, Rússia, China, Estados Unidos e França continua a não agradar Israel.
O primeiro-ministro Netanyahu acredita que não haverá um verdadeiro entendimento e lembrou que “Khamenei, o guia supremo já disse que se devem preparar para combater os Estados Unidos, havendo ou não acordo. O presidente iraniano, Rohani encabeçou uma marcha de ódio nas ruas de Teerão, um protesto onde foram queimadas bandeiras dos Estados Unidos e de Israel e onde milhares de pessoas pediram a morte dos Estados Unidos e de Israel.”

Recorde-se que o líder supremo iraniano, Ali Khamenei, disse este sábado que os cidadãos da República Islâmica do Irão se devem preparar para “continuar a luta contra as forças arrogantes”, como designa os Estados Unidos, quando terminarem as conversações sobre o nuclear.

Estas declarações foram feitas pelo principal líder religioso e político do Irão durante um encontro com estudantes universitários.