Última hora

Morreu chefe da polícia política da ditadura de Pinochet

Morreu chefe da polícia política da ditadura de Pinochet
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Manuel Contreras, que foi o chefe da polícia política da ditadura de Augusto Pinochet, morreu, na sexta-feira, com 86 anos. Debatia-se há vários anos com um cancro, diabetes e insuficiência renal.

O antigo general foi condenado a mais de 500 anos de prisão por casos de tortura, desaparecimentos e raptos de elementos da oposição. Jamais reconheceu algum dos crimes.

Dezenas de chilenos, entre eles antigos presos políticos, festejaram em frente ao hospital onde morreu.

“Estou muito feliz, mas é um sentimento contraditório, porque este assassino morreu de doença, mas devia ter sofrido mais, tal como muitos companheiros sofreram. Eu também sinto que a justiça ainda não chegou a este país. Apenas recentemente, depois de muitos anos, estamos a descobrir sobre muitos crimes, muito crimes que a ditadura cometeu”, sublinhou o ativista Sergio Contreras.

“Este senhor implementou o ódio, matou… Nós estávamos orgulhosos da nossa democracia em 1973, estávamos orgulhosos de sermos democráticos e ele destruiu este país. É um país muito diferente agora”, afirmou Veronica Caceres.

Contreras foi preso em 2005 pelo sequestro de um opositor. A partir daí sucederam-se as condenações.

Durante a ditadura chilena, mais de 3200 pessoas morreram ou desapareceram e mais de 38 mil foram torturadas.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.