A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Israel: Netanyahu apela à calma após linchamento de refugiado eritreu

Israel: Netanyahu apela à calma após linchamento de refugiado eritreu
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O assassínio de um requerente de asilo eritreu tomado por um atacante palestiniano é o reflexo do medo e da histeria que assaltou Israel. Os acontecimentos de Beersheba, no domingo, que além do refugiado africano terminaram com a morte de um soldado e de um palestiniano, levaram o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu a pronunciar-se:

“A multidão que se encontra na área deve abandonar o local e deixar trabalhar os serviços de emergência. Somos um Estado de Direito. Ninguém deve fazer justiça pelas próprias mãos. Chegámos a um ponto onde o terrorismo islâmico se cruza com a internet, onde Osama Ben Laden encontra Mark Zuckerberg.”

Palavras que fazem alusão à histeria que leva a que muitos israelitas saiam armados às ruas ou que se proíba o acesso às escolas dos empregados árabes. Desde o início do mês morreram oito israelitas e mais de 40 palestinianos. Esta segunda-feira foi um pouco mais calma. Só há registo de um ferido palestiniano em Belém.