Última hora

Airbus russo: Falha técnica ou atentado?

Airbus russo: Falha técnica ou atentado?
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

As investigações continuam para determinar as causas da queda do Airbus russo no Egito.

Um inquérito foi aberto também na Rússia e as instalações da empresa do operador turístico foram revistadas. Inspectores de França e Alemanha deverão chegar este domingo ao local do acidente, no centro Península do Sinai.

Os 224 ocupantes mortos eram turistas, a grande maioria de nacionalidade russa, entre os quais havia 17 crianças e adolescentes.

O contato com o Airbus A321-200 da companhia russa Kogalymavia, mais conhecido sob o nome de Metrojet, perdeu-se 23 minutos depois da descolagem de madrugada, do aeroporto de Sharm el- Sheikh, no Mar Vermelho, rumo a São Petersburgo.

O braço armado do grupo Estado Islâmico no Egito, reinvindica a responsabilidade do acidente como retaliação à intervenção russa na Síria, mas o Ministro dos Transportes russo Maxim Sokolov rejeitou esta alegação.

Os especialistas em aviação também estão céticos em relação à reivindicação de EI, favorecendo outras hipóteses, como falha técnica ou uma bomba a bordo.

No Cairo, o correspondente da Euronews explica: “O que se avança sobre as causas do acidente são duas possibilidades: Falha técnica nos motores do avião, mas também a hipótese de um ataque por parte do grupo Estado islâmico, de acordo com alguns especialistas de propaganda do grupo terrorista. Aguarda-se para já análise da caixa negra e a divulgação dos resultados”

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.