EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

"Doping": Comissão da AMA recomenda suspensão da Federação Russa de Atletismo

"Doping": Comissão da AMA recomenda suspensão da Federação Russa de Atletismo
Direitos de autor 
De  Francisco Marques com Dulce Dias (ScribbleLive)
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A comissão indendepende criada pela Agência Mundial Antidopagem (AMA) recomenda que a Federação Russa de Atletismo seja banida do desporto após

PUBLICIDADE

A comissão indendepende criada pela Agência Mundial Antidopagem (AMA) recomenda que a Federação Russa de Atletismo seja banida do desporto após diversas ofensas e falhas sistemáticas relacionadas com “doping.”

A recomendação surge no relatório divulgado esta segunda-feira, em resultado de uma investigação anticorrupção que “essencialmente se limitou à Rússia e ao atletismo”. A comissão sugere que a AMA deve orientar o Comité Olímpico Internacional a não aceitar quaisquer inscrições provenientes da Federação Russa de Atletismo até que os regulamentos da AMA sejam respeitados.

[ Relatório 1 (em inglês) da Comissão Independente da AMA ]

A AMA acusa ainda o governo da Rússia de “initimidar” o laboratório antidoping de Moscovo, o qual a organização internacional também recomenda que perca a licença de trabalho. As recomendações implicam ainda 5 atletas e 5 treinadores, que deverão ser sancionados com suspensão perpétua devido a “doping.”

Rússia fala de recomendação política

A Rússia rejeita totalmente a eventual proibição de participação nos Jogos Olímpicos do Rio de janeiro, em janeiro do próximo ano, no Rio de Janeiro. O chefe da Agência Federal russa Médico-Biológica (AFMB) alega que a recomendação da Comissão Independente da AMA é “uma declaração política motivada pela série de sanções adoptadas contra a Rússia”, no último ano devido à alegada interferência na crise ucraniana. Vladimir Úiba garante que a recomendação “não tem qualquer fundamento” e acusa: “os testes antidoping são feitas aos desportistas pela própria comissária da AMA e os atletas não sabem quando vai aparecer o inspetor.”

O ministro do Desporto, Vitali Mutkó, sublinha que a comissão independente da AMA apenas fez “recomendações” e garante que “não há que misturar as coisas”. “A comissão não tem o direito de excluir ninguém”, defendeu, lembrando que os atletas russos envolvidos em casos de doping nos jogos Olímpicos de Londres 2012 foram castigados e que o anterior presidente da Federação Russa de Atletismo, Valnetín Balájnichev, foi destituído.

“Na Rússia, criámos um sistema normal. Não encobrimos nada. Estamos a trabalhar, mas nada está a encobrir o que quer que seja”, garantiu Mutkó.

Documentário alemão reforça dados da investigação

A investigação foi reforçada já este ano por um documentário da televisão alemã ARD, emitida em dezembro do ano passado. A reportagem sugere que a ARD e o jornal britânico The Sunday Times tiveram acesso a uma base de dados privada da Associação de Federações Internacionais de Atletismo (IAAF, na sigla inglesa), contendo mais de 12.000 testes sanguíneos de cerca de 5000 atletas realizados entre 2001 e 2012. A investigação continua. “Há ainda muita informação para ser analisada e isso está a ser feito neste momento. Esperamos que os resultados desta investigação possam ser revelados antes do final deste ano”, revelou Richard Pound, o presidente da AMA, que lidera a conferência de imprensa em curso.

WADA welcomes Independent Commission’s Report into Widespread Doping in Sport https://t.co/8dYLCZB1PU#cleansport

— WADA (@wada_ama) 9 novembro 2015

(“A AMA agradece o relatório da Comissão Independente sobre o alastrar do ‘doping’ no desporto.”)

O responsável da AMA congratulou os indivíduos que tiveram a “coragem” para denunciar os casos que conheciam aos investigadores, incluindo aos jornalistas que conduziram a reportagem/ documentário. “Nós precisamos — e esta comissão vai apelar à AMA — para que se descubram mais e melhores formas de assegurar que mais pessoas como estas surjam e contribuam para a integridade do desporto, sem riscos de de retaliação nem preocupações pela segurança pessoal”, afirmou “Dick” Pound.

O presidente da AMA, que lidera também a comissão independente da investigação antidoping em curso, proporcionou ao organismo “pacotes de sanções contra indíviduos que não tinham ainda sido indentificados”. “Foram ainda indentificados incidentes de caráter criminoso, foram feitas descobertas e recomendações ao labortatório russo, foi reportada a interferência no controlo de ‘doping’ até e mesmo já este ano, e foram descobertos o encobrimento e pagamentos em dinheiro para manter ocultos os testes de ‘doping’”, acrescentou.

“Nós advertimos antecipadamente o ministro russo do Desporto de que ele não iria ficar satisfeito com as recomendações. Ele terá de viver com isso. Nós esperamos que a Rússia prossiga (agora) com a investigação”, desejou o presidente da AMA.

França lidera investigação criminal e Interpol ajuda

A Interpol revelou, num comunicado divulgado esta sexta-feira , estar a ajudar uma “investigação liderada pela França a um alegado esquema de corrupção internacional envolvendo responsáveis do desporto assim como atletas suspeitos de um encombrimento de ‘doping’.” > MEDIA RELEASE: #INTERPOL supporting French investigation into athletics #corruptionhttps://t.co/biTWgxpZ4Uwada_ama</a> <a href="https://twitter.com/hashtag/IAAF?src=hash">#IAAF</a> <a href="https://twitter.com/hashtag/cleansport?src=hash">#cleansport</a></p>&mdash; INTERPOL (INTERPOL_HQ) 9 novembro 2015

(“A Interpol está a apoiar a investigação francesa a corrupção no atletismo.”)

[ O comunicado (em inglês) da Interpol sobre a investigação ao ‘doping’ no atletismo ]

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Processo de António Costa desce do Supremo para o DCIAP

501 caixões e 200 sacos com cadáveres encontrados abandonados na Argentina

Recordista mundial da maratona Kelvin Kiptum morre aos 24 anos em acidente