EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

John Kerry tenta aproximar Abbas e Netanyahu a pedido de Obama

John Kerry tenta aproximar Abbas e Netanyahu a pedido de Obama
Direitos de autor 
De  Francisco Marques com Gulf Times, Reuters
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

John Kerry visitou esta terça-feira Israel e a Cisjordânia. O secretário de Estado norte-americano deslocou-se à região a pedido do Presidente Barack

PUBLICIDADE

John Kerry visitou esta terça-feira Israel e a Cisjordânia. O secretário de Estado norte-americano deslocou-se à região a pedido do Presidente Barack Obama para tentar desbloquear o processo de paz israelo-palestiniano e dar um impulso a implementação da solução de dois estados.

O responsável pela diplomacia norte-americana encontrou-se pela manha com Benjamin Netanyahu, em Jerusalém, e terá debatido com o primeiro-ministro israelita estratégias para estancar a onda de violência que assola a região há mais de um mês.

Statements by Prime Minister Benjamin Netanyahu and US Secretary of State John Kerry
https://t.co/xUbJ5JsmyFpic.twitter.com/bOhD8IrRHq

— PM of Israel (@IsraeliPM) 24 novembro 2015

Kerry considerou os ataques isolados de palestinianos a israelitas, que se têm sucedido desde o início de outubro, como atos de “terrorismo” contra “inocentes”, mas também se mostrou consciente da “terrível situação” que os palestinianos vivem “na Cisjordânia, em Jerusalém e em Gaza”.

“Estamos empenhados em que dois estados e dois povos possam viver lado a lado. Os Estados Unidos vão continuar a trabalhar para esse fim”, prometeu John Kerry.

Abbas Kerry'ye İsrail'in ihlallerini içeren 5 dosya verdi https://t.co/MwBOOdNJhKpic.twitter.com/SijRmcYNTJ

— ANADOLU AJANSI (@anadoluajansi) 24 novembro 2015

Esta terça-feira, foi a enterrar, entretanto, mais um soldado israelita, morto à facada por um palestiniano. O assassínio aconteceu num posto de combustível na Cisjordânia. O palestiniano atacou â facada dois soldados, matou um e feriu o outro, acabando morto a tiro por outros soldados.

Este tipo de confrontos tem sido recorrente desde o início de outubro, quando a revolta espoletada pela limitação de acesso de israelitas a muçulmanos, a meio de setembro, à grande mesquita da Cidade Velha de Jerusalém.

Os protestos iniciais dos palestinianos de Jerusalém alastraram a outras regiões, chegaram inclusive à Faixa de Gaza. Aos confrontos entre grupos de jovens e as forças de defesa israelitas, somaram-se ataques isolados a judeus.

O Ministério da Saúde Palestiniano adianta a morte de pelo menos 97 palestinianos desde o início deste escalar de violência no início de outubro. Do lado judeu, o balanço refere 18 israelitas, um eritreu, um norte-americano e um palestiniano mortos na sequência de ataques palestinianos.

Na segunda-feira, o governo israelita anunciou um reforço das medidas de segurança, com controlos rodoviários mais apertados e um aumento das vias duplas, as quais apresentam vias de acesso exclusivas a colonos judeus e outras para palestinianos.

WATCH: Statements by Prime Minister Netanyahu and US Secretary of State JohnKerry</a> at the start of their meeting.<a href="https://t.co/kqslYz1APU">https://t.co/kqslYz1APU</a></p>&mdash; PM of Israel (IsraeliPM) 24 novembro 2015

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Hamas acusa Israel de atacar multidão que esperava por alimentos em Gaza

Blinken expressa apoio dos EUA para a criação de um Estado palestiniano

Israel diz que vai investigar ataque a escola de Jabalia onde terão morrido 80 pessoas