EUA: Mulheres podem combater tanto como os homens

EUA: Mulheres podem combater tanto como os homens
Direitos de autor 
De  Ricardo Figueira com Reuters, APTN
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Mulheres de armas e para todo o serviço: O secretário norte-americano da Defesa anunciou que as mulheres vão poder participar em todo o tipo de operações militares, pondo fim à discriminação

PUBLICIDADE

A partir de agora, as mulheres dos Estados Unidos vão poder entrar em todo o tipo de missões das Forças Armadas, incluindo as mais exigentes, como de forças de elite tais como os Navy SEALS ou a Army Delta.

O anúncio foi feito agora pelo secretário norte-americano da Defesa, Ashton Carter, em resposta a um pedido dos Marines para que as mulheres não fossem envolvidas em certas missões: “Para que a nossa missão tenha sucesso, a defesa nacional não pode dar-se ao luxo de abdicar de metade dos talentos e das capacidades que tem. Temos de aproveitar cada indivíduo que corresponda aos nossos padrões”, disse Carter.

Os Marines, fuzileiros norte-americanos, tinham pedido que as mulheres fossem excluídas de várias missões mais exigentes e mais arriscadas. A direção desta unidade de elite argumentava que as equipas mistas eram mais fracas que as constituídas só por homens. O argumento é partilhado pelo chefe do Estado-maior, o general Joseph Dunford. O governo rejeitou o argumento, com a decisão tomada agora.

O presidente Barack Obama felicitou a decisão, com este comunicado:

Pres Obama on opening combat jobs to women: “This change, like others…will again make our military even stronger” pic.twitter.com/GCTibTdmdX

— ABC News (@ABC) December 3, 2015

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Homem imolou-se no exterior do tribunal onde Donald Trump está a ser julgado

Agentes da autoridade mortos a tiro no Estado de Nova Iorque

Nova Iorque sacudida por terramoto de 4,8 na escala de Richter, o maior em mais de 40 anos