Última hora
This content is not available in your region

Angela Merkel, "Personalidade do ano 2015" da revista Time

Access to the comments Comentários
De  Miguel Roque Dias com TIME, REUTERS
euronews_icons_loading
Angela Merkel, "Personalidade do ano 2015" da revista Time
Tamanho do texto Aa Aa

Angela Merkel foi considerada a “Personalidade do ano 2015” pela revista norte-americana Time.

A publicação nomeou a chanceler alemã evidenciando a resiliência da líder germânica, em relação à crise que assolou a União Europeia por causa das dívidas soberanas, e com a crise dos migrantes.

Em comunicado, a diretora da revista, Nancy Gibbs, justifica que a escolha recaiu sobre Merkel “por exigir mais do seu país do que a maioria dos políticos ousariam, por se manter firme na luta contra a tirania e a conveniência e por fornecer uma inabalável liderança moral num mundo em que ela escasseia.”

Exemplo disso foi quando a chanceler alemã permitiu, em agosto, que milhares de migrantes, provenientes do Médio Oriente, prosseguissem viagem até à Alemanha, depois de terem sido barrados na Hungria, evitando, com isso uma crise humanitária.

A revista norte-americana focou, ainda, o papel da Alemanha na questão do resgate da Grécia, em que “Merkel impôs as suas severas condições”.

Em segundo lugar, na lista de “Personalidade do ano 2015” da Time, ficou o líder do grupo Estado Islâmico, Abu Bakr al-Baghdadi. O candidato às primárias republicanas nos Estados Unidos da América, Donald Trump, ficou em terceiro.

Esta é a segunda vez que a revista Time elege uma mulher, como “Personalidade do Ano”, em quase três décadas. A última foi Corazon Aquino, em 1986.

A primeira mulher a ser nomeada “Personalidade do Ano, foi Wallis Warfield Simpson, em 1936. Wallis, norte-americana e divorciada, foi a mulher por quem o rei Eduardo VIII, de Inglaterra, abdicou do trono para casar.

A segunda a ter a honra foi a rainha Isabel II, de Inglaterra, em 1952.

A antiga presidente das Filipinas, Corazon Aquino recebeu o título em 1986. Quase três décadas depois o título cabe a outra mulher, a chanceler alemã, Angela Merkel.