A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Burundi: governo rejeita missão de paz da União Africana

Burundi: governo rejeita missão de paz da União Africana
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O governo do Burundi rejeita a entrada no país da missão de paz da União Africana (UA).

O Conselho de Paz e Segurança (CPS) da União Africana (UA) tinha aprovado na quinta-feira o envio de cinco mil soldados para o Burundi com o mandato de proteger os civis e de evitar uma guerra civil no país.

A recusa das autoridades do Burundi pode ser contornada, mas para isso é necessário agora que dois terços dos chefes de Estado da União Africana aprovem a decisão.

Face à escalada de violência registada nos últimos meses no Burundi, a União Africana advertiu na quinta-feira que não permitirá “outro genocídio” no continente.

Em abril teve início uma série de violentos protestos depois de Pierre Nkurunziza ter anunciado a intenção de concorrer às eleições pela terceira vez, contra a regra Constitucional. As eleições foram realizadas e Nkurunziza ganhou, com 69% dos votos.

Em Novembro passado, a ONU informou estar preparada para enviar Capacetes Azuis ao Burundi caso a violência se tornasse incontrolável no país.

A decisão da União Africana foi anunciada uma semana depois dos ataques de 11 de Dezembro contra três campos militares, que deram lugar aos combates mais intensos no Burundi desde o golpe de Estado militar abortado de 13 e 14 de maio.