Grupo Estado Islâmico terá raptado 400 pessoas na Síria

Grupo Estado Islâmico terá raptado 400 pessoas na Síria
De  Nara Madeira com Reuters
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O grupo Estado Islâmico terá raptado pelo menos 400 civis, durante um ataque a zonas controladas pelo governo sírio em Deir al-Zour (ou Deir Ezzor)

PUBLICIDADE

O grupo Estado Islâmico terá raptado pelo menos 400 civis, durante um ataque a zonas controladas pelo governo sírio em Deir al-Zour (ou Deir Ezzor). A informação está a ser avançada pelo Observatório Sírio dos Direitos Humanos.

#SOHR#ISIS organization kidnap 400 people from #DeirEzzor city &take them to countryside of Deir Ezzor & #Raqqahhttps://t.co/TB5QICkZAy

— #المرصد_السوري #SOHR (@syriahr) 17 janeiro 2016

A Agência de notícias estatal síria SANA, tinha avançado, horas antes, que foram mortas, pelo menos, 300 pessoas, incluindo crianças, não falando nos sequestros.

#Daesh kills 300, abducts 400 in Syrian city of #DeirEzZor – reports
https://t.co/W5HzVmnbjdpic.twitter.com/uz4U1Vbs8K

— Sputnik (@SputnikInt) 17 janeiro 2016

O governo sírio já condenou a matança que descreve como um “massacre horrendo contra residentes de Begayliya, em Deir al-Zour.

Em Raqqa, centro das operações dos extremistas, e segundo o mesmo Observatório, cerca de 40 civis morreram em ataques aéreos da coligação internacional.

O país vive uma grave crise humanitária. No ano passado terão morrido pessoas à fome, em Deir al-Zour, informação não confirmada. Este sábado a Rússia e o governo sírio enviaram, em conjunto, ajuda para as populações. Segundo as Nações Unidas, as condições de vida de 200 mil habitantes desta cidade estão a deteriorar-se rapidamente.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Incêndio em prédio de 14 andares em Valência faz pelo menos quatro mortos

Mãe de Alexei Navalny pede à justiça entrega do corpo

Russos continuam a homenagear Navalny apesar do risco de detenção. Mais de 400 já foram presos