EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Refugiados afegãos dispostos a avançar com greve de fome

Refugiados afegãos dispostos a avançar com greve de fome
Direitos de autor 
De  Lurdes Duro Pereira com Reuters, Lusa
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Cinco mil migrantes na fronteira entre a Grécia e a Macedónia e pelo menos mais quatro mil no porto de Pireu que serve Atenas. Milhares de

PUBLICIDADE

Cinco mil migrantes na fronteira entre a Grécia e a Macedónia e pelo menos mais quatro mil no porto de Pireu que serve Atenas.

Milhares de refugiados encontram-se bloqueados depois da Macedónia e da Sérvia terem encerrado as fronteiras a cidadãos de origem afegã.

O Governo grego garante estar a negociar uma solução para o problema, que os refugiados encaram como de vida ou morte.

“O nosso plano é atravessar a fronteira ou morrer lá. Não temos pressa em voltar ao Afeganistão. Todos nós, eu em particular, somos um alvo fácil para os talibãs no Afeganistão” refere um afegão.

Outro adianta: “Vamos ficar aqui. Não vamos para o acampamento, nem vamos comer. Vamos fazer greve de fome.”

As ilhas gregas continuam a ser a principal porta de entrada na Europa. Muitos refugiados seguem depois viagem para a Macedónia, Sérvia e Croácia, rumo à Eslovénia e Áustria. A situação complicou-se depois de Viena ter decidido limitar o número diário de pedidos de asilo e das pessoas autorizadas a passar a fronteira.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Eleições europeias: O que é que os eleitores querem e o que é que os candidatos prometem?

Mais uma morte na Nova Caledónia. França acusa Azerbaijão de fomentar a violência no arquipélago

Centenas de refugiados começaram a atravessar a fronteira de Myanmar para a Tailândia