Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

ONU defende trégua na Síria por entre denúncias de violação do cessar-fogo

ONU defende trégua na Síria por entre denúncias de violação do cessar-fogo
Tamanho do texto Aa Aa

A oposição síria denuncia uma trégua “nula” no terreno, três dias após o início do cessar-fogo acordado por Estados Unidos e Rússia.

O grupo responsável por coordenar a trégua reuniu-se esta tarde em Genebra para analisar as denúncias de novos ataques do regime contra a oposição durante o fim de semana.

No terreno, as tropas russas distribuiram hoje ajuda humanitárias a várias localidades na província de Latakia, o bastião de Bashar Al-Assad.

A ONU, que afirma que a trégua está a ser respeitada, “de forma geral”, espera poder distribuir mantimentos a mais de 154 mil pessoas em localidades sitiadas, nos próximos cinco dias.

O enviado especial das Nações Unidas para a Síria, Stefan de Mistura, anunciou que as negociações de paz poderão ser retomadas já no dia 7, em Genebra, se o acordo for respeitado.

“Estamos a trabalhar para esse objetivo, mas tudo depende do respeito do cessar-fogo e da entrega de ajuda humanitária.”(…)“Não precisamos de enviar convites, basta apenas fixar uma data e comunicá-la a todos os participantes”, afirmou De Mistura.

A ONU espera agora que a trégua dure mais do que o teste de duas semanas, quando mais de 450 mil pessoas estarão encurradas pelo conflito em várias povoações da Síria.

A França convocou esta segunda-feira uma reunião de urgência para analisar as denúncias de violações de cessar-fogo.

O Observatório Sírio dos Direitos Humanos confirmou uma diminuição do número de vítimas, de uma média de 180 mortos diários, para apenas 20, no domingo.

De visita à Costa do Marfim, o presidente turco, Recep Erdogan, afirmou que o cessar-fogo só cobre atualmente um terço do país, tendo apelado à expansão da trégua no terreno. Ancara teria, ao mesmo tempo, voltado a bombardear posições do grupo Estado Islâmico (EI) na Síria, esta segunda-feira, segundo a imprensa turca.

O cessar-fogo em vigor na Síria desde sábado não abarca nem o EI nem os grupos próximos da Al-Qaida como a Frente Al-Nusra.