EventsEventos
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Joe Biden critica o silêncio palestiniano ante ataques violentos

Joe Biden critica o silêncio palestiniano ante ataques violentos
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Uma onda de violência traduzida em múltiplos ataques armados e esfaqueamentos a israelitas foi criticada pelo vice presidente norte americano, Joe

PUBLICIDADE

Uma onda de violência traduzida em múltiplos ataques armados e esfaqueamentos a israelitas foi criticada pelo vice presidente norte americano, Joe Biden, numa visita a Israel.

Tragic attack in Jaffa today, taking the life of an American. There is no justification for such acts of terror.

— Vice President Biden (@VP) March 8, 2016

Biden afirmou estar com a mulher Jill e os netos a jantar numa praia em Tel Aviv quando um palestiniano matou um turista americano com uma faca e feriu 11 outras pessoas, não muito longe dele.

Em Jerusalém, depois de um encontro com o primeiro-ministro israelita, Biden visou a liderança palestiniana: “Deixem-me dizer sem nenhuma dúvida que os Estados Unidos da América condenam estes actos e condenam a não condenação destes actos”, afirmou.

A Palestina responde com o desespero dos atacantes pela ausência de um estado independente.

Desde Outubro, ataques levados a cabo por palestinianos mataram 28 israelitas e dois cidadãos americanos.

As forças de segurança de Israel mataram pelo menos 179 palestinianos, 121 dos quais, dizem, eram atacantes.

A violência entre israelitas e palestinianos tem escalado nestes meses recentes e vem numa altura em que a administração americana tem consciência de que a possibilidade de um plano de paz antes do término de funções é praticamente nula.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

União Europeia volta a ativar missão de assistência em Rafah

Pelo menos 50 mortos após ataques aéreos israelitas em Rafah

Protestos pelos reféns em Telavive degeneram em confrontos com a polícia