This content is not available in your region

Rússia condena Nadiya Savchenko mas Ucrânia não reconhece sentença

Access to the comments Comentários
De  Patricia Cardoso  com Reuters, AFP, Lusa, EFE
euronews_icons_loading
Rússia condena Nadiya Savchenko mas Ucrânia não reconhece sentença

A piloto ucraniana Nadiya Savchenko foi condenada a 22 anos de prisão e a uma multa de 30 mil rublos, o equivalente a 440 dólares. Um tribunal russo considerou-a culpada de envolvimento na morte de dois jornalistas russos no leste da Ucrânia e de entrar ilegalmente na Rússia.

A Ucrânia nunca irá reconhecer a alegada sentença de Nadiya Savchenko.

Savchenko, que realizou já várias greves de fome, denuncia a detenção na Rússia e rejeita a acusação. Ela e os apoiantes reagiram ao veredicto entoando o hino ucraniano. As autoridades evacuaram a sala.

A piloto de 34 anos está detida desde julho de 2014. Diz ter sido entregue à Rússia pelos separatistas do leste da Ucrânia.

A condenação foi criticada pelos Estados Unidos, pela União Europeia e pela Ucrânia.

O presidente Petro Poroshenko garante que o seu país “nunca irá reconhecer a alegada sentença de Nadiya Savchenko”. O chefe de Estado fala de uma farsa e recordou que Vladimir Putin lhe tinha prometido entregar a piloto à Ucrânia. “Agora é hora de cumprir a promessa”, disse Poroshenko.

Apesar de tudo, Kiev abriu a porta a uma eventual troca de prisioneiros: Savchenko contra dois soldados russos detidos na Ucrânia. Mas a piloto ucraniana opõe-se a qualquer troca, considerando injusto trocar “uma pessoa inocente” contra militares russos que combateram na Ucrânia.

Nadiya Savchenko é considerada uma heroína na Ucrânia e possui imunidade parlamentar. Em outubro de 2014, apesar de estar detida, foi eleita para o parlamento ucraniano e é também membro da Assembleia Parlamentar do Conselho da Europa.