EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Karadžić enfrenta hoje veredicto do Tribunal de Haia

Karadžić enfrenta hoje veredicto do Tribunal de Haia
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A sentença do Tribunal Penal Internacional de Haia para a ex-Jugoslávia, sobre Radovan Karadžić, deverá ser ouvida esta quinta-feira. Se considerado

PUBLICIDADE

A sentença do Tribunal Penal Internacional de Haia para a ex-Jugoslávia, sobre Radovan Karadžić, deverá ser ouvida esta quinta-feira.

Se considerado culpado, Karadžić enfrenta prisão perpétua por 11 acusações.

Radovan Karadžić responde como líder máximo dos sérvios na guerra da Bósnia entre 1992 e 1995 e pela tentativa de erradicação dos muçulmanos e croatas da Bósnia dos territórios reivindicados pelos sérvios.

Uma das acusações é de genocídio pela morte de mais de 8 mil homens e meninos muçulmanos em Srebrenica em 1995, uma das maiores atrocidades da Europa desde a II Guerra Mundial.

Enfrenta também acusações relativas ao cerco de 43 meses a Sarajevo, durante o qual morreram mais de 5 mil civis.

Nos 4 anos de guerra, estimam-se muito acima de 100 mil o número de mortos, com mais de um milhão de desalojados à força.
Perante o tribunal, responde também Ratko Mladic, chefe militar das forças sérvias.

Radovan Karadžić foi indiciado pelo Tribunal Penal Internacional em 1995 e permaneceu foragido até 2008.

Considerou-se então inocente das acusações e assumiu a própria defesa.

A sentença de Haia é esperada de modo muito divergente. Para muitos sérvios, Karadzic é um herói e esperam vê-lo sair absolvido.

Independentemente da sentença, irreversível será a divisão étnica ao longo do território que ainda hoje subsiste.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Srebrenica à espera do veredito do Tribunal Penal Internacional no julgamento de Karadzic

Radovan Karadzic: Bósnios e sérvios preparam-se para a resposta da Justiça

África do Sul levanta ação por genocídio contra Israel. O que esperar do Tribunal de Haia?