EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Bélgica: novas detenções e acusações relacionadas com atentados de Bruxelas e Paris

Bélgica: novas detenções e acusações relacionadas com atentados de Bruxelas e Paris
Direitos de autor 
De  Rodrigo Barbosa com AFP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Uma operação policial no bairro de Uccle, no sul de Bruxelas, no quadro das investigações aos atentados de novembro em Paris, conduziu esta

PUBLICIDADE

Uma operação policial no bairro de Uccle, no sul de Bruxelas, no quadro das investigações aos atentados de novembro em Paris, conduziu esta terça-feira à detenção de três pessoas. A procuradoria belga não avançou as identidades, mas indicou que deverão comparecer hoje em tribunal.

Ao mesmo tempo, a Justiça belga acusou dois irmãos, identificados como Smail e Ibrahim F., de ligações aos ataques de 22 de março em Bruxelas. Os dois homens estarão ligados ao aluguer de uma residência no bairro de Etterbeek, usada como base pelo bombista que se fez explodir na estação de metro de Maelbeek, Khalid El Bakraoui, e pelo suspeito detido e acusado no fim-de-semana, Osama Krayem.

Um vizinho afirmou, na condição de anonimato, ter cruzado várias vezes Bakraoui, que descreveu como “um tipo simpático e amável que dizia sempre ‘bom dia’, ‘adeus’ ou ‘tudo bem?’”. E acrescenta que é “assustador” pensar que o tinha “debaixo do nariz, sem se dar conta”.

Ainda a recuperar dos atentados, o aeroporto Zaventem de Bruxelas sofreu ontem novas perturbações: a principal via de acesso foi cortada durante três horas, enquanto a polícia averiguava um veículo considerado “suspeito” e os voos viram-se afetados por uma greve de controladores aéreos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Responsáveis dos atentados de Bruxelas condenados a pesadas penas

Caça ao homem em França depois de emboscada a carrinha celular que matou dois guardas prisionais

Violência policial aumenta em Amsterdão durante protestos pró-Palestina