EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

União Europeia acusa Google de abuso de posição

União Europeia acusa Google de abuso de posição
Direitos de autor 
De  Miguel Roque Dias com Reuters
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A Comissão Europeia acusou, esta quarta-feira, a Google de abusar da sua posição dominante ao obrigar os fabricantes e operadores de telemóveis e

PUBLICIDADE

A Comissão Europeia acusou, esta quarta-feira, a Google de abusar da sua posição dominante ao obrigar os fabricantes e operadores de telemóveis e “Tablets”, que utilizam o sistema Android, a instalar os seus produtos, em detrimento dos concorrentes.

Bruxelas ataca pela segunda vez, em dias, a gigante tecnológica. Na sexta-feira, o vice-presidente da Comissão Europeia, Andrus Ansip, acusou a Google de abusar do seu domínio na área dos motores de busca.

As acusações da Comissão Europeia podem resultar em pesadas multas e mudanças radicais nas práticas de negócios para a empresa norte-americana.

A Google enfrenta, desde 2010, acusações da União Europeia de promover o próprio serviço de compras em pesquisas na Internet em detrimento de produtos concorrentes.

Em comunicado, a comissária europeia para a competitividade, Margrethe Vestager, afirma que “o comportamento da Google nega aos consumidores a possibilidade de escolherem outras aplicações ou serviços móveis e trava o caminho para a inovação dos concorrentes”.

Statement of Objections to Google: It seems like you are abusing your dominant position by imposing restrictions on Andriod device makers.

— Margrethe Vestager (@vestager) April 20, 2016

A Google mantém uma quota de 80% do mercado móvel com Android na Europa.

De acordo com os regulamentos da Comissão europeia, a acusação é a primeira fase no processo contra empresa suspeita de práticas anti-competitivas. Depois disso, a empresa pode justificar a legalidade das suas práticas argumentando perante a Comissão. Caso o regulador decida contra a empresa, as multas podem chegar aos 10% da faturação.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Comissão Europeia acusa a Google de abuso de posição dominante

Houthis reivindicam ataques a contratorpedeiro dos EUA e a dois navios petroleiros

Análise: navios russos enviados para Cuba são uma "demonstração de força" de Putin