Última hora
This content is not available in your region

Austrália reacende polémica sobre falta de apoio aos refugiados

Austrália reacende polémica sobre falta de apoio aos refugiados
Tamanho do texto Aa Aa

Continua o drama dos refugiados, desta vez na Austrália. Depois de um jovem iraniano, de 23 anos se ter imolado e morrido, na semana passada, foi a vez de uma jovem somali fazer o mesmo, pelos mesmos motivos: um protesto contra as condições do centro de receção de refugiados localizado na ilha de Nauru, no Pacífico. Não morreu mas encontra-se num hospital australiano em estado muito grave:

“Já expressei a minha frustração e raiva aos advogados e outras pessoas que estão em contacto com os centros de processamento regionais e que encorajam algumas dessas pessoas a comportarem-se de uma determinada maneira, acreditando que a pressão exercida sobre o Governo australiano vai resultar numa mudança nas nossa medidas de proteção das fronteiras”, afirmou o Ministro australiano para a imigração e proteção das fronteiras, Peter Dutton, que acrescentou que as políticas não vão mudar, ainda que as Nações Unidas já tenham criticado a política australiana para a imigração.

Nauru é um dos dois centros de receção de refugiados australianos, localizados em ilhas do Pacífico. Aqui estão cerca de 500 refugiados. O outro, na Papua Nova Guiné, alberga cerca de 850 pessoas mas será encerrado pelas autoridades locais.

Estes campos estão no centro de uma polémica que envolve abuso de crianças e o facto de que, em última análise, a Austrália não pretende dar asilo a nenhum destes refugiados.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.