EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Homem que matou polícia e mulher em Paris tinha lista de alvos com personalidades públicas

Homem que matou polícia e mulher em Paris tinha lista de alvos com personalidades públicas
Direitos de autor 
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O autor do duplo homicídio de um polícia e da mulher em Paris tinha uma lista de alvos que incluía figuras públicas.

PUBLICIDADE

O autor do duplo homicídio de um polícia e da mulher em Paris tinha uma lista de alvos que incluía figuras públicas.

A informação foi avançada, esta terça-feira, pelo procurador francês. Os agentes encontraram na residência do autor do crime 3 telefones, 3 facas e uma lista de alvos.

Segundo François Molins, Larossi Abballa revelou, à polícia na noite do ataque, ter prestado juramento de fidelidade ao autoproclamado Estado Islâmico. A mesma fonte confirma que o homicida fez várias publicações nas redes sociais durante o ataque, incluindo fotos das vítimas e um vídeo de 12 minutos.

“Os agentes já fizeram uma série de investigações e, sobretudo, de constatações que lhes permitiu entre outras coisas confiscar uma lista de alvos que inclui: rappers, jornalistas, polícias e personalidades públicas”, afirmou o procurador francês.

As autoridades francesas consideram este como “um ato terrorista abjeto”.

[Communiqué] Mise en berne des drapeaux du ministère de l'Intérieur et minute de silence pr les agents #Magnanvillepic.twitter.com/Nys1Xo5Ae9

— Ministère Intérieur (@Place_Beauvau) 14 de junho de 2016

Larossi Abballa, de 25 anos, foi condenado a três anos de prisão, em 2013, com seis meses de pena suspensa, acusado de estar a preparar atos terroristas.

En accord avec leurs familles, ns rendons hommage au Cdt JB. SALVAING et sa compagne adj administrative J. SCHNEIDER pic.twitter.com/7C1QQOw1nS

— Police Nationale (@PoliceNationale) 14 de junho de 2016

Larossi esfaqueou um comandante da polícia quando este regressava a casa em Magnanville, perto de Paris. Refugiou-se depois na residência da vítima, onde se encontravam a mulher e o filho. Acabou por ser abatido durante a operação policial.
A criança, de 3 anos, foi a única a sobreviver.

En accord avec leurs familles, ns rendons hommage au Cdt JB. SALVAING et sa compagne adj administrative J. SCHNEIDER pic.twitter.com/7C1QQOw1nS

— Police Nationale (@PoliceNationale) 14 juin 2016

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Autor do duplo homicídio em Paris era "combatente" do EI

Macron pede que antissemitismo seja discutido nas escolas após violação de uma jovem judia

Líder da extrema-direita opõe-se ao envio de tropas francesas para a Ucrânia