EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

JMJ: arcebispo de Marselha apela à tolerância

JMJ: arcebispo de Marselha apela à tolerância
Direitos de autor 
De  Lurdes Duro Pereira com Reuters
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Cerca de dois milhões de jovens são esperados na JMJ, Jornada Mundial da Juventude que arranca, esta terça-feira, em Cracóvia, na Polónia.

PUBLICIDADE

Cerca de dois milhões de jovens são esperados na JMJ, Jornada Mundial da Juventude que arranca, esta terça-feira, em Cracóvia, na Polónia. Só de Portugal partiram sete mil para participar no evento religioso instituído por João Paulo II há três décadas.

O arcebispo de Marselha já reagiu ao ataque que vitimou mortalmente um padre, no nordeste da França.

“Não nos devemos deixar levar pelo ódio, pelo medo e pelo desejo de vingança porque é, seguramente, isso que eles querem. Estão a tentar colocar-nos uns contra os outros, sobretudo, contra a comunidade muçulmana” refere o arcebispo de Marselha, Georges Pontier.

Os jovens presentes no evento não escondem a apreensão com os últimos acontecimentos.

“Fiquei ainda mais assustado. Os franceses foram atacados, os judeus também e agora os cristãos. Não podemos ficar indiferentes” adianta um jovem francês.

Receios que se generalizaram depois de dois homens ter atacado uma igreja na Normandia. A segurança foi reforçada na véspera da chegada do Papa à Polónia. A primeira deslocação de Francisco ao país vai, ainda, ficar marcada por uma visita a antigos campos de concentração nazi.

A Jornada Mundial da Juventude que se realiza a cada dois anos encerra no final do mês.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Polónia: Explosão em fábrica de armamento provoca 1 morto

Donald Tusk em campanha para as europeias reúne milhares de apoiantes em Varsóvia

Divisão entre direita e centro-direita na Polónia pode dificultar coligação conservadora na UE