Rio2016: Tocha Olímpica recebida com protestos no Rio de Janeiro

Rio2016: Tocha Olímpica recebida com protestos no Rio de Janeiro
De  Miguel Roque Dias com Reuters; Estadão Esportes
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A passagem da Tocha Olímpica, pelo Rio de Janeiro está a fazer-se sob fortes medidas de segurança e muitos protestos.

PUBLICIDADE

A passagem da Tocha Olímpica, pelo Rio de Janeiro está a fazer-se sob fortes medidas de segurança e muitos protestos.

Esta quarta-feira, a polícia brasileira recorreu a gás lacrimogéneo e a balas de borracha para dispersar uma multidão.

A manifestação ocorreu no município Duque de Caxias, que integra a região metropolitana do Rio de Janeiro.

Os manifestantes, na sua maioria professores, protestavam contra o pagamento em parcelas dos salários, imposto pelo Governo do Estado em dezembro, contra o aumento do custo de vida e contra a situação política do Brasil.

Durante o protesto o músico Tarcísio Gomes foi imobilizado por agentes da Força Nacional depois de protestar, de forma insólita, contra o presidente interino, Michel Temer.

O músico baixou os calções e exibiu nas nádegas as palavras “Fora Temer”

Condutor da tocha é retirado do percurso no Rio pela Força Nacional. Saiba mais: https://t.co/gMEBBaLQ53pic.twitter.com/D8dsNYPGEJ

— Estadão Esportes (@EstadaoEsporte) August 3, 2016

Horas antes de chegar à Baixada Fluminense, a Chama Olímpica cruzou a Baía de Guanabara numa embarcação da da marinha do Brasil. A lamparina passou para as mãos do presidente da Câmara Municipal do Rio, Eduardo Paes, ao som da música “cidade maravilhosa”.

Esta quinta-feira, a Tocha volta ao centro do Rio, para percorrer a cidade. Na sexta entra no Maracanã onde acenderá a Pira Olímpica, dando início à cerimónia de abertura dos Jogos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Polícia liberta 17 reféns de assalto a autocarro no Rio de Janeiro

Escolas de samba já desfilam no Brasil

Segurança apertada até segunda-feira devido à final da Libertadores no Brasil