EventsEventos
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Bruxelas: Cinco suspeitos libertados sem acusação formal

Bruxelas: Cinco suspeitos libertados sem acusação formal
Direitos de autor 
De  Antonio Oliveira E Silva
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Os cinco suspeitos detidos por possível relação com o incêndio do Instituto Nacional de Criminologia e Criminalística, em Bruxelas, foram libertados sem qualquer tipo de acusação

PUBLICIDADE

Com Ricardo Figueira e AFP

Os cinco suspeitos detidos esta segunda-feira por possível ligação com o incêndio no laboratório do Instituto Nacional de Criminologia e Criminalística (ICNN), em Bruxelas, foram libertados sem que qualquer acusação tivesse sido feita contra eles.

A informação foi avançada pela Justiça Federal belga.

O incêndio teve lugar nas primeiras horas da madrugada de segunda-feira. O objetivo, segundo o Ministério Público Federal, poderia ter sido o de “destruir provas”.

Embora os danos materiais tenham sido descritos pelos media locais como “elevados”, não houve quaisquer vítimas a lamentar.

Os cinco suspeitos tinham sido detidos perto do ICNN, no norte de Bruxelas. A instituição tem como principais tarefas a realização de investigações criminais e sobre suspeitos de casos realizados com direito criminal em solo belga.

“Trata-se de um auxiliar importante para a justiça, com informações importantes sobre casos que se encontram em investigação”, disse uma porta-voz das autoridades belgas.

O incêndio provocou várias explosões por volta das duas horas da manhã locais. Até às primeiras horas da tarde de segunda-feira, as autoridades belgas não tinham avançado mais detalhes, para além de que se tinha tratado de um incêndio provocado de forma voluntária.

Ainda que a possibilidade de um ataque terrorista não tenha sido confirmada, os investigadores continuam a contemplar todas as possibilidades.

A Bélgica continua em estado de alerta elevado depois dos ataques do passado dia 22 de março, que provocaram 32 mortos no aeroporto internacional de Bruxelas.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Caça ao homem em França depois de emboscada a carrinha celular que matou dois guardas prisionais

Violência policial aumenta em Amsterdão durante protestos pró-Palestina

Autoridades dispersam protestos na Universidade de Columbia e fazem várias detenções