Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

ONU contra proibições do burquíni

ONU contra proibições do burquíni
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A ONU entrou no debate sobre o burquíni em França. O Alto Comissariado para os Direitos Humanos das Nações Unidas criticou a decisão de alguns municípios franceses de proibir, nas praias, o fato completo usado, sobretudo, por mulheres muçulmanas.

Marianne é o símbolo da República. Tem um dos seios descoberto porque alimenta o povo e não usa véu porque é livre. É isso a República.

Manuel Valls Primeiro-Ministro de França

Para a ONU, a desculpa da segurança e da luta antiterrorista não faz sentido. O porta-voz do Alto Comissariado foi duro nas palavras: “Esta é uma reação estúpida em relação aos ataques terroristas. Não faz nada para aumentar a segurança e não melhora a ordem pública em nada. Tudo o que faz é estimular as fricções, logo, é nociva à ordem pública e é contraproducente”, disse Rupert Colville.

O Conselho de Estado, mais alta instância constitucional em França, rejeitou a proibição num dos municípios, o que deve abrir um precedente.

O primeiro-ministro Manuel Valls insiste em apoiar a proibição e até faz um paralelo com Marianne, o símbolo da República Francesa: “Já que discutem o tema – e ainda bem que o fazem – e falam de Marianne, Marianne é o símbolo da República. Tem um dos seios descoberto porque alimenta o povo e não usa véu porque é livre. É isso a República. Assim é Marianne e é isso que devemos enaltecer”, disse num comício do Partido Socialista em Colomiers.

O burquíni entrou também no debate para as presidenciais do próximo ano. À direita, Nicolas Sarkozy quer um alargamento das interdições. Já o adversário Alain Juppé diz que não deve haver aproveitamentos do tema e uma proibição a nível nacional não seria a melhor resposta.