EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Seul revela plano para arrasar capital norte-coreana em caso de ataque nuclear

Seul revela plano para arrasar capital norte-coreana em caso de ataque nuclear
Direitos de autor 
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O quinto e mais potente teste nuclear da Coreia do Norte, na sexta-feira, parece relançar a corrida às armas na península.

PUBLICIDADE

O quinto e mais potente teste nuclear da Coreia do Norte, na sexta-feira, parece relançar a corrida às armas na península.

O ministério da Defesa sul-coreano revelou um plano de “castigo e retaliação”, frente ao parlamento do país, que prevê o bombardeamento intensivo de Pyongyang em caso de ataque nuclear.

Seul afirma-se pronto a recorrer ao arsenal de mísseis balísticos para levar a cabo “ataques preventivos”.

Em paralelo, os EUA anunciaram que vão adotar sanções unilaterais contra o país:

“Para lá das sanções da ONU, os EUA, Japão e Coreia do Sul vão avaliar medidas unilaterais e bilaterais, assim como reforçar a cooperação trilateral para responder às provocações e ao comportamento inaceitável dos norte-coreanos”, afirmou Sung Kim, o enviado especial dos EUA para a política norte-coreana.

Para os três países o teste nuclear de sexta-feira é a confirmação de que Pyongyang dispõe de tecnologia para instalar ogivas nucleares em mísseis de médio alcance.

O regime comunista afirmou, no sábado, que uma nova ronda de sanções não vai afetar o programa nuclear do país.

Pyongyang encontra-se, no entanto, mais isolado do que nunca no plano diplomático.

A China, que condenou o último teste nuclear, anunciou que está pronta a colaborar com a Coreia do Sul, para sancionar as ambições atómicas do país vizinho.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Coreia do Norte responde ao Comando da ONU sobre soldado americano em fuga

Kim Jong-un mostra armas ao ministro da Defesa da Rússia

Militar dos EUA foge para a Coreia do Norte