A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

FARC/Bogotá: Futuro do acordo de paz nas mãos dos colombianos

FARC/Bogotá: Futuro do acordo de paz nas mãos dos colombianos
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Depois de mais de cinco décadas de um conflito que provocou mais de 200 mil mortos, o acordo de paz. Mas para ser implementado precisa ainda de ser validado pelos colombianos.

Sou mãe, professora e tenho um filho a quem quero deixar um país diferente

Paula Soto professora

O chefe de Estado, um dos principais impulsionadores do processo, foi um dos primeiros a exercer o direito de voto no referendo deste domingo.

“Espero que este plebiscito, esta votação mude a história deste país para melhor, de modo a acabar com um conflito de 52 anos e a abrir caminho em direção à paz e a um futuro melhor” refere Juan Manuel Santos, Presidente da Colômbia.

As sondagens apontam para a vitória do “sim” com mais de 60 por cento dos votos. A paz é o principal argumento apresentado pelos defensores do acordo assinado entre o Governo e as FARC.

“Votei ‘sim’ porque me dá esperança. Sou mãe, professora e tenho um filho a quem quero deixar um país diferente” defende a colombiana Paula Soto.

“Esperamos que nos próximos anos as FARC possam participar na vida política do país e que nós possamos esquecer este conflito” conclui o colombiano, Andres Burges.

A participação política das FARC está prevista no acordo de paz e o novo partido pode nascer dentro de oito meses caso a vitória do ‘sim’ se confirme na consulta popular, deste domingo.