EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Alepo: Hospital sírio M10 volta a ser bombardeado

Alepo: Hospital sírio M10 volta a ser bombardeado
Direitos de autor 
De  Lurdes Duro Pereira com AFP, Reuters, EFE
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Pelo menos seis pessoas morreram durante mais um bombardeamento contra o maior hospital da zona controlada pela oposição a Bashar Al-Assad, na cidade sitiada de…

PUBLICIDADE

Pelo menos seis pessoas morreram durante mais um bombardeamento contra o maior hospital da zona controlada pela oposição a Bashar Al-Assad, na cidade sitiada de Alepo.

Trata-se do terceiro ataque em menos de uma semana contra o hospital designado por M10. Testemunhas apontam o dedo à aviação russa.

M10, the biggest hospital in #Aleppo was just attacked, killing a builder working on repairs after 3 hits last week #medicsunderfirepic.twitter.com/CPrfQ1a7u5

— The Syria Campaign (@TheSyriaCmpgn) October 3, 2016

Sergei Lavrov diz que a Rússia está preocupada com a violência na Síria. De acordo com o ministro os Negócios Estrangeiros russo, Moscovo até gostava de acabar as ambiguidades e de avançar com os compromissos assumidos com os Estados Unidos. Ambiguidades, que segundo Lavrov se prendem com a forma como Washington encara as ações da oposição.

País aliado de Bashar Al-Assad, a Rússia critica o apoio norte-americanos à oposição síria, cada vez mais conotada com o extremismo.

Esta segunda-feira, dois bombistas suicidas fizeram-se explodir na cidade de Hama, controlada pelo regime sírio, provocando um número indeterminado de mortos. Os ataques que visaram um comissariado da polícia e a sede do Partido no poder já foram reivindicados pelo autoproclamado Estado Islâmico.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Analista: "conflito na Síria é uma guerra por procuração"

Bombardeamentos turcos contra milícias curdos faz pelo menos 20 mortos

Ataque russo em zona controlada pelos rebeldes sírios mata dois civis