Milhares de tailandeses despedem-se do rei

Milhares de tailandeses despedem-se do rei
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Dezenas de milhares de tailandeses vestidos de negro saíram hoje à rua e concentram-se perto do palácio real, em Banguecoque, para chorar a morte do rei Bhumibol…

PUBLICIDADE

Dezenas de milhares de tailandeses vestidos de negro saíram hoje à rua e concentram-se perto do palácio real, em Banguecoque, para chorar a morte do rei Bhumibol Adulyadej.

A multidão esperou a chegada do cortejo fúnebre do monarca que reinava há 70 anos.

“Eu dei os meus serviços para eventos do rei no passado com algumas coisas, por isso era necessário estar aqui mesmo se tive de ficar desde o início da manhã. “

“Eu sinto como se fosse uma grande oportunidade para mim vê-lo pela última vez, eu nunca vou esquecer isso, sinto que todos os tailandeses pensam da mesma forma que eu. O rei era como um pai”.

O percurso entre o hospital onde morreu, aos 88 anos, na quinta-feira, e o palácio foram fechados ao trânsito ainda antes do amanhecer.

O príncipe herdeiro, Maha Vajiralongkorn, de 64 anos, conduz a cerimónia budista do “banho” do corpo, a primeira etapa de uma longa série de rituais que vão durar vários meses para os membros da família real tailandesa.

Bhumibol Adulyadej era considerado o “cimento” de uma nação muito dividida politicamente. Subiu ao trono em 1946 após a inexplicável morte de seu irmão e muitos tailandeses nunca conheceram outro soberano.

O chefe da junta anunciou um período de luto de um ano e uma redução de todas as atividades de divertimento durante 30 dias.

As televisões com emissões difundidas na Tailândia apenas poderão apresentar programas relacionados com a casa real, também no decurso dos próximos 30 dias.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

O controverso príncipe herdeiro da Tailândia

Morreu o estilista Roberto Cavalli aos 83 anos

Sete pessoas julgadas por fornecer droga suicida a mais de 600 pessoas nos Países Baixos