EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

República Centro-Africana: Troca de tiros entre forças da ONU e homens armados

República Centro-Africana: Troca de tiros entre forças da ONU e homens armados
Direitos de autor 
De  Nelson Pereira
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Protestos violentos eclodiram esta segunda-feira em Bangui, a capital da República Centro-Africana, contra a presença no país das forças de manutenção da paz da…

PUBLICIDADE

Protestos violentos eclodiram esta segunda-feira em Bangui, a capital da República Centro-Africana, contra a presença no país das forças de manutenção da paz da ONU.

Os capacetes azuis dispararam para o ar para dispersar os manifestantes que queriam aproximar-se do quartel general da Minusca.

As forças da Minusca são acusadas de passividade face aos grupos armados.

Ataques de grupos armados fizeram nas últimas semanas várias dezenas de mortos em várias localidades do interior.

Les casques bleus de UN_CAR</a> sont intervenus pour lever les barricades à Bangui <a href="https://twitter.com/carcrisis">CARcrisis et permettre le retour au calme

— MINUSCA (@UN_CAR) 24 de outubro de 2016

UN_CAR</a> pourquoi ne font-ils pas la même chose à Kanga-Bandoro? Je ne comprends pas la politique de l&#39;ONU en Centrafrique.</p>&mdash; Davis RAMA FOKY (DavisramaFoky) 24 de outubro de 2016

Os rebeldes Séléka derrubaram em 2013 o presidente François Bozizé, provocando uma contra-ofensiva das milícias anti-Balaka que mergulhou a República Centro-Africana na guerra civil e no caos.

A intervenção da Minusca e das forças francesas da Sangaris fez diminuir a intensidade dos massacres, mas não conseguiu estabilizar o país.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

ONU confirma a detenção de 11 funcionários no Iémen

Rebeldes Houthi detêm pelo menos 9 membros da ONU, dizem as autoridades

Prosseguem os combates em Gaza apesar da decisão do TIJ que obriga Israel a pôr termo à ofensiva em Rafah