Parlamento israelita vai contra ordem do Supremo Tribunal

Parlamento israelita vai contra ordem do Supremo Tribunal
Direitos de autor 
De  Nara Madeira
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O parlamento israelita aprovou o polémico projeto de legalização de colonatos judeus que foram construídos em terras palestinianas privadas, no território da…

PUBLICIDADE

O parlamento israelita aprovou o polémico projeto de legalização de colonatos judeus que foram construídos em terras palestinianas privadas, no território da Cisjordânia. Uma decisão que vai contra outra do Supremo Tribunal de Israel.

A lei foi apresentada pelo partido do ministro da Educação e apoiada pela maioria do governo israelita, isto apesar de Benjamín Netanyahu ser contra. A legalização foi aprovada por 57 votos a favor e 52 contra.

Durante o debate político a oposição advertiu para as consequências que esta aprovação pode ter para Israel até porque viola deliberadamente, o Direito Internacional.

O objetivo desta lei é evitar o fim do colonato judeu de Amona, situação contra a qual se manifestaram dezenas de colonos à porta do parlamento.

A decisão tinha sido tomada pelo Supremo Tribunal com base na legislação israelita que proíbe a expropriação de terras privadas com ou sem indemnização.

Para os nacionalistas, impulsionadores da nova lei, não há ocupação porque um povo não pode ocupar uma terra que lhe pertence,

Com EFE

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Cerveja palestiniana: Um negócio com ambições, apesar dos obstáculos serem muitos

Segundo maior hospital de Gaza não está operacional. Israel quer reféns libertados até ao Ramadão

Guerra Israel-Hamas: ataques intensificam-se no centro e sul de Gaza