Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

França: Juppé acusa Fillon de estar demasiado próximo da Rússia

França: Juppé acusa Fillon de estar demasiado próximo da Rússia
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A poucos dias da segunda volta das primárias da direita francesa, os ataques sobem de tom.

O ex-primeiro-ministro da era Chirac, Alain Juppé, acusa o rival, François Fillon, de preparar um programa “radical” com reformas excessivas e de recolher os votos da extrema-direita. Em termos da política externa, Juppé considera que Fillon é demasiado próximo de Moscovo:

“Entrar em negociações com a Rússia não significa dizer sim a tudo, mas sim dizer-lhes a verdade. Um país não pode anexar parte de outro e violar leis internacionais, como aconteceu com a Crimeia. Quando acordos, como o de Minsk, são assinados para restabelecer a paz na Ucrânia, devem ser respeitados. É verdade que há fraquezas do lado ucraniano, mas também sabemos que a Rússia atiça os separatistas.”

Fillon não esconde as boas relações com o presidente russo, Vladimir Putin, quando era primeiro-ministro de Nicolas Sarkozy, tendo classificado em várias instâncias o “número um” do Kremlin de “líder admirável”, e promete relançar as relações entre Paris e Moscovo, atualmente geladas:

“Oiço como os amigos do meu rival me acusam de ter vontade de normalizar as relações com a Rússia, com mais cooperação e honestidade. Deixo-os andar à volta do assunto, mas tomarei todas as medidas necessárias para garantir a segurança dos franceses e irei recorrer à ajuda de todos os países disponíveis para derrotar o Estado Islâmico.”

O escrutínio do próximo domingo decidirá quem será o candidato dos conservadores para as presidenciais francesas de 2017. Uma das últimas sondagens dá a vitória a Fillon, com 65 por cento dos votos.