Turquia responsabiliza regime Sírio pela morte de 3 soldados e promete uma "retaliação"

Turquia responsabiliza regime Sírio pela morte de 3 soldados e promete uma "retaliação"
De  Euronews com REUTERS, AFP, EFE
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A Turquia promete uma "retaliação" depois de três soldados turcos terem sido mortos, na Síria, num bombardeamento que Ancara considera ter sido levado a cabo pela aviação do regime de Bashar al-Assad.

PUBLICIDADE

A Turquia promete uma “retaliação” depois de três soldados turcos terem sido mortos, na Síria, num bombardeamento que Ancara considera ter sido levado a cabo pela aviação do regime de Bashar al-Assad.

#Turkey blames #Syrian regime for deadly airstrike on its troops, as Turkish-backed rebels close in on al-Bab: https://t.co/LwZURusXRD

— Emre Peker (@wsjemre) November 24, 2016

Segundo a imprensa turca, os militares foram mortos na região de Al-Bab, onde a Turquia apoia militarmente uma ofensiva dos rebeldes para reconquistar a cidade aos ‘jihadistas’ do autoproclamado Estado Islâmico.

Para o primeiro-ministro turco “é claro que algumas pessoas não estão contentes com a batalha que a Turquia trava contra o Daesh”. Binali Yildirim garantiu que haverá “uma retaliação” ao ataque.

#Turkish F-16 jets on standby, say Turk military sources, after claims of #Syrian airstrike on Turkish troops near al-Bab #VOAalert

— Jamie Dettmer (@jamiewrit) November 24, 2016

O regime de Damasco não reagiu imediatamente, mas já por diversas vezes afirmou que a presença de tropas turcas é uma violação da soberania da Síria.

A Turquia faz parte da coligação internacional que combate o autoproclamado Estado Islâmico. Em paralelo, Ancara lançou, em agosto, uma ofensiva na Síria, apelidada de ‘Escudo do Eufrates’, para empurrar para longe da fronteira os ‘jihadistas’ e as milícias curdas.

Ancara tem apoiado ativamente os rebeldes que tentam derrubar o regime de Assad, mas baixou o tom da retórica contra o presidente sírio desde que as relações com Moscovo começaram a melhorar após um período de tensão quando abateu um bombardeiro russo há exatamente um ano.

Um confronto direto entre a Turquia, membro da NATO, e forças governamentais sírias, que são apoiadas pela Rússia, poderia provocar uma perigosa escalada no já muito complicado cenário de guerra na Síria.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Chuvas fortes causam pelo menos uma morte na Turquia

Parlamento turco aprova adesão da Suécia à NATO

Comissão parlamentar turca aprova adesão da Suécia à NATO