A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Incêndio numa "rave" na Califórnia faz nove mortos

Incêndio numa "rave" na Califórnia faz nove mortos
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Pelo menos nove pessoas morreram e dezenas estão desaparecidas na sequência de um forte incêndio deflagrado num armazém, em Oakland, nos Estados Unidos, onde decorria uma “rave”, isto é, uma festa de música eletrónica com a atuação do músico Golden Donna.

O armazém atingido é conhecido como “Barco Fantasma”, é composto por dois andares, alberga uma coletividade de artistas, que ali costuma organizar festas para ajudar a pagar a renta.

Na altura do incêndio desta sexta-feira estariam no local mais de 70 pessoas. A maior parte das vítimas mortais foi encontrada no segundo piso, onde algumas das janelas estariam bloqueadas por grades de ferro.

Pela página oficial do evento na rede social Facebook, estão a ser partilhados apelos por pessoas que estariam na festa e que ainda não deram sinal de vida.

(“Joel (Shanahan, o nome verdadeiro de Golden Donna) está em segurança, mas tal como muita gente está destroçado e tem ainda diversos amigos entre os desaparecidos. Por favor, resistam a colocar mensagens nesta página ou nos canais pessoais do Joel a não ser que tenham informações sobre as vítimas do incêndio de Oakland. A enviar amor para todos os que foram afetados por este terrível evento.”)

O incêndio terá começado pelas 23h30 — já 07h30 da manhã deste sábado, em Lisboa. Foram necessárias mais de quatro horas para controlar o fogo.

Algumas testemunhas alegam que o fogo terá começado num problema elétrico na cave do edifício, mas causas do incêndio são para já ainda desconhecidas. Está em curso uma investigação e o balanço de vítimas pode vir ainda a agravar-se, com um xerife local a admitir que os mortos podem chegar às dezenas.