Última hora
This content is not available in your region

Parlamento Europeu escolhe novo presidente

Parlamento Europeu escolhe novo presidente
Tamanho do texto Aa Aa

Theresa May deve levantar um pouco o véu da estratégia sobre o Brexit. A primeira ministra britânica vai fazer um discurso sobre a sua visão das futuras relações entre a União Europeia e o Reino Unido. Um discurso particularmente aguardado porque até agora Theresa May não quis revelar o jogo. Agora deve dar pistas sobre o tom e o conteúdo das negociações que devem começar até ao final de março. Uma das questões diz respeito à livre circulação de pessoas, como explica o eurodeputado Jacek Saryusz-Wolski. “Existem 1.2 milhões de cidadãos britânicos na Europa e o Reino Unido gostaria de salvaguardar os seus direitos no continente. Vai ser uma negociação difícil e deve haver reciprocidade, um tratamento favorável dessas comunidades, de cidadãos europeus que estão no Reino Unido e de cidadãos Britânicos que estão no continente”, garantiu o polaco de centro direita.

Theresa May pode contar com um apoio de peso nesta matéria. O presidente eleito dos Estados Unidos considera o Brexit como “um sucesso”. Donald Trump, que entra na Casa Branca no final desta semana, fez, numa entrevista, uma análise sobre a situação europeia. Defende que o acolhimento de refugiados na Alemanha é um “erro catastrófico” e que a NATO é uma organização “obsoleta”. Estas considerações pouco diplomáticas tiveram reações na Europa.

É hoje que os eurodeputados vão escolher o seu presidente. Ao contrário do que acontecia antes, este escrutínio não será o fruto de um compromisso entre os principais grupos políticos do Parlamento. Estas eleições devem ser renhidas. Vejamos o que está em jogo com o nosso enviado especial a Estrasburgo, Sandor Zsiros. “Estas eleições podem ser recordadas como aquelas cujo resultado é completamente imprevisível. Depois de se ter rompido o acordo da grande coligação, tanto o Partido Popular Europeu como os Socialistas querem lutar até ao último voto e os pequenos partidos não parecem muito interessados em ajudar os grandes candidatos a chegar ao poder. De qualquer forma, o futuro presidente desta casa vai ter a difícil tarefa de parar a desintegração da União Europeia, que está cada vez mais sob pressão. Nestes tempos difíceis, o Parlamento Europeu tem de ter um líder forte e carismático, mas muitos dizem que nenhum dos candidatos tem as qualidades de Martin Schulz, que deixa a presidência esta terça-feira e vai ser substituido por Gianni Pittella, por Antonio Tajani…ou por outro dos candidatos”.

Pode seguir em direto na Euronews a nossa cobertura da eleição do presidente do Parlamento Europeu a partir das 8 da manhã, hora de Lisboa.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.