EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Presidenciais em França: Benoit Hamon, a surpresa socialista

Presidenciais em França: Benoit Hamon, a surpresa socialista
Direitos de autor 
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Um olhar claro, um sorriso e uma presença modesta, aspeto jovem.

PUBLICIDADE

Um olhar claro, um sorriso e uma presença modesta, aspeto jovem. O socialista em que ninguém reparava prepara-se para, aos 49 anos, defender as cores da Belle Aliance Populaire e especialmente do Partido Socialista nas próximas eleições presidenciais em França.

Benoit Hamon, promete aos franceses: “Um mundo mais igualitário, mais fraterno, mais justo. Esta é a perspetiva que abrimos e que outros qualificam de utópica, mas que nós assumimos, porque partimos do real e mostramos o que, aos nossos olhos, será o ideal”.

Conhecido no seio do partido – do qual foi porta-voz entre 2008 e 2012, depois de ter liderado a juventude socialista durante dois anos e mais tarde deputado europeu -, Benoit Hamon era menos conhecido dos franceses. A tal ponto que, quando a sua candidatura foi anunciada, há seis meses, pouca importância foi dada ao assunto.

Calmo e discreto passou por diversos cargos em funções de Estado: em 2012 foi nomeado por Jean Marc Ayrault ministro delegado para a Economia Social e Solidária. Com outros ministros do governo fez tudo para fazer chegar Manuel Valls ao posto de primeiro-ministro. No primeiro governo de Valls assume o cargo de ministro da Educação, mas rapidamente tensões são visíveis. Hamon, Montebourg – então ministro da Economia – e a ministra da Cultura, Aurlie Filipetti, são demitidos devido às posições públicas que assumiam em contradição com a linha do governo.

Tornam-se os contestatários do partido socialista e opõem-se nomeadamente ao projeto de lei de destituição da nacionalidade que leva à demissão da ministra da Justiça. Nessa altura, no entanto, tudo leva a crer que será Montebourg o rival direto de Manuel Valls.

Mas a perseverança, o estilo simples e a novidade do projeto suscitam interesse no eleitorado de esquerda. Um projeto inovador, centrado na política social e no ambiente, que desperta os saudosos dos velhos ideais da esquerda. Um discuso claro e simples: “Eu assumo e digo hoje que a opção política que proponho não é a venda de sonhos, não é a venda de coisa nenhuma é uma proposta de justiça”.

Benoit Hamon foi progressivamente batendo todos os adversários e derrubou mesmo aquele que apostou o tudo ou nada na candidatura presidencial, Manuel Valls.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Benoit Hamon será candidato socialista às presidenciais em França

Macron pede que antissemitismo seja discutido nas escolas após violação de uma jovem judia

Líder da extrema-direita opõe-se ao envio de tropas francesas para a Ucrânia