Parlamento romeno rejeita moção de censura

Parlamento romeno rejeita moção de censura
De  Ricardo Figueira
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

As manifestações contra o governo, em Bucareste, são diárias e são as maiores desde a queda do regime comunista em 1989.

O Parlamento da Roménia rejeitou a moção de censura apresentada pela oposição em plena crise política. Entretanto, aumenta a pressão nas ruas para que o governo social-democrata se demita, na sequência de um decreto, depois retirado, que descriminalizava vários casos de corrupção.

PUBLICIDADE

O Partido Social Democrata e os parceiros da coligação de governo abstiveram-se, o que inviabilizou a moção de censura.

O primeiro-ministro Sorin Grindeanu defendeu o orçamento e a continuidade do governo: “Temos um orçamento que vai trazer prosperidade e desenvolvimento aos romenos. Temos todos os meios necessários para implementar o programa de governo no qual os romenos votaram, em grande maioria, em dezembro.

As manifestações contra o governo, em Bucareste, são diárias e são as maiores desde a queda do regime comunista em 1989. O movimento era inicialmente contra o decreto sobre a corrupção, que teria beneficiado o líder social-democrata Liviu Dragnea, e continuou depois de o governo ter cedido à pressão e retirado o documento.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Roménia constrói abrigos em partes de fronteira com Ucrânia

Roménia constrói abrigos antiaéreos junto a fronteira com Ucrânia

Aldeia romena vive de perto guerra na vizinha Ucrânia