Última hora

Peru prepara reconstrução por entre cheias mortíferas

Peru prepara reconstrução por entre cheias mortíferas
Tamanho do texto Aa Aa

As chuvas torrenciais que assolam várias regiões do Peru vão continuar a ameaçar o país até Abril, segundo os serviços meteorológicos nacionais.

Pelo menos 11 das 25 regiões do país encontram-se em estado de emergência climática, depois das cheias e deslizes de terras terem provocado pelo menos 65 mortos e mais de 60 mil deslocados.

Alerta para novas cheias em Lima

Em Lima, as autoridades locais emitiram um alerta para a possibilidade do rio Rímac poder voltar a galgar as margens nas próximas 48 horas.

A subida das águas inundou vários acessos à capital, destruíndo parte de uma linha de caminho de ferro na zona leste de Lima, onde a intempérie tinha já causado dois mortos e quase 3 mil desalojados.

710 milhões para reconstrução

O presidente peruano, Pedro Pablo Kuczynski anunciou mais ajuda de emergência para as zonas afetadas, quando afirma estar pronto a desbloquear mais de 710 milhões de euros para reconstruir as zonas sinistradas.

O mau tempo propagado pelo fenómeno El Niño – o aumento da temperatura das águas do mar – provocou já mais de 170 feridos, destruíndo quase 8 mil casas e pelo menos 19 escolas em todo o país.

O “milagre” de Angelina

As autoridades afirmam que 11 pessoas permanecem desaparecidas após terem sido arrastadas por enxurradas e torrentes de lama.

Uma sobrevivente emocionou, no entanto, o país ao tornar-se um símbolo de resistência. No início da semana, Angelina Chamorro conseguia salvar-se depois de ser arrastada por uma enxurrada em Punta Hermosa, ao sul de Lima.

As imagens impressionantes do salvamento tornaram-se um vídeo viral no país, quando Angelina se encontra a recuperar no hospital.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.