Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Pela primeira vez uma empresa do setor aeroespacial é introduzida em bolsa

Pela primeira vez uma empresa do setor aeroespacial é introduzida em bolsa
Tamanho do texto Aa Aa

A Avio, companhia italiana do setor aeroespacial, passou a estar cotada no mercado de valores de Milão, em Itália. É a primeira vez, a nível mundial, que uma empresa especializada no fabrico de foguetes para o lançamento de satélites é introduzida em bolsa. O objetivo da operação é angariar fundos para reforçar o investimento em novas tecnologias.

Daqui a dois ou três anos, a ligação à internet passará pelo espaço. Não usaremos as redes sem fios wifi, a tecnologia tradicional de acesso à Internet. Teremos acesso a uma ligação em todo o mundo, no meio do deserto e dos oceanos.

“A nossa vida na terra baseia-se cada vez mais em serviços oriundos do espaço. Toada a gente fala ao telemóvel, usa o GPS, consulta o estado do tempo graças a imagens de satélite. Esta é apenas uma pequena parte do que vai ser possível fazer no futuro. Daqui a dois ou três anos, a ligação à internet passará pelo espaço. Não usaremos as redes sem fios wifi, a tecnologia tradicional de acesso à Internet. Teremos acesso a uma ligação em todo o mundo, no meio do deserto e dos oceanos. Teremos também imagens melhores do espaço, em alta definição, que podem ser descarregadas a alta velocidade, o que nos permitirá ver a evolução do nosso planeta de forma objetiva”, disse Giulio Ranzo, presidente da Avio.

A Avio tem como clientes grandes organizações como a Agência Espacial Europeia e a Google. A companhia italiana prepara atualmente novas versões dos foguetes Vega e Ariane que deverão estar prontas em 2019 e 2020.

No dia da introdução em bolsa, as ações da Avio valorizaram 6,6%, para os 13,40 euros.