Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

EUA e Rússia prometem melhorar relações mas diferendo sobre Síria persiste

EUA e Rússia prometem melhorar relações mas diferendo sobre Síria persiste
Tamanho do texto Aa Aa

A visita do secretário de Estado norte-americano a Moscovo serviu essencialmente para expor as divergências que persistem entre Washington e o Kremlin a respeito da Síria, embora tenham sido feitas promessas de colaboração.

Rex Tillerson foi recebido pelo chefe da diplomacia russa e pelo presidente Vladimir Putin, antes de uma muito esperada conferência de imprensa, durante a qual Serguei Lavrov afirmou que “constatou” que os Estados Unidos “estão dispostos a apoiar uma investigação” ao ataque da semana passada com armas químicas na Síria, que exacerbou as tensões entre os dois países.

Tillerson e Lavrov afirmaram ter chegado a acordo para constituir um grupo de trabalho para melhorar as relações entre os Estados Unidos e a Rússia.

Mas, se Moscovo continua a defender a “inocência” de Bashar al-Assad, já o chefe da diplomacia norte-americana voltou a atribuir o ataque com armas químicas ao regime sírio, que diz ser “apenas o último de uma série”, defendendo que “o reinado da família Assad está a chegar ao fim […] devido à sua própria conduta a respeito da guerra nos últimos anos”.

O diferendo sobre a Síria deixou para segundo plano toda uma panóplia de temas previstos para a deslocação de Tillerson à Rússia, como a situação na Ucrânia ou as próprias relações comerciais entre os dois países.