Última hora
This content is not available in your region

Processo aberto contra Hungria no dia da visita de Orbán

Access to the comments Comentários
De  Isabel Marques da Silva com Lusa
euronews_icons_loading
Processo aberto contra Hungria no dia da visita de Orbán
Tamanho do texto Aa Aa

A Comissão Europeia abriu um processo contra a Hungria por entender que a lei do Ensino Superior, aprovada a 4 de abril, viola a legislação comunitária.

A decisão foi tomada no dia em que o primeiro-ministro húngaro discursou no Parlamento Europeu, em Bruxelas.

Questionado pela euronews se “Bruxelas pode pará-lo?”, Viktor Orbán respondeu: “Vamos ver agora”.

O chefe de governo da Hungria foi convidado a debater várias medidas do seu governo que podem pôr em causa valores da União Europeia.

No caso da lei do Ensino Superior, o primeiro vice-presidente do executivo comunitário, Franz Timmermans, disse que “a análise que a Comissão Europeia fez à lei confirmou as nossas preocupações sobre violar as leis do mercado interno e a carta dos direitos fundamentais”.

“O Colégio de Comissários decidiu, portanto, lançar um processo de infração contra a Hungria, enviando uma carta formal de notificação e ficando a aguardar uma reação”.

Viktor Orbán disse que é essencial respeitar a soberania de cada Estado-membro, mas defendeu o projeto europeu: “Deixem-me ser claro: o compromisso da Hungria e do governo húngaro em relação à União Europeia é inquestionável”.

“A política húngara foi construída nesse sentido nos últimos 30 anos. É por isso que assinei e que estou totalmente de acordo com a declaração de Roma que foi celebrada há não muito tempo e também com o programa do meu grupo político europeu aprovado em Malta”, acrescentou o primeiro-ministro.

O governo húngaro tem agora um mês para responder formalmente ao parecer fundamentado enviado pela Comissão Europeia.