EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

ONGs exigem cessar-fogo para dar trégua à fome no Iémen

ONGs exigem cessar-fogo para dar trégua à fome no Iémen
Direitos de autor 
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Várias organizações internacionais voltaram a apelar a um cessar-fogo humanitário no Iémen, para dar assistência a mais de sete milhões de pessoas em risco de morrer à…

PUBLICIDADE

Várias organizações internacionais voltaram a apelar a um cessar-fogo humanitário no Iémen, para dar assistência a mais de sete milhões de pessoas em risco de morrer à fome.

Em Al-Hodeida, no leste do país, o enterro de uma menina de sete anos, vítima de desnutrição, ilustra a falta de acesso de mais de dois terços da população a víveres e medicamentos.

A mãe da criança, Amal Ibrahim, explica:

“Ela estava muito doente e eu fiz tudo para que fosse hospitalizada e e a única solução foi tentar conseguir algum dinheiro para que pudesse ser tratada. Vendemos a mobília, uma ovelha e tudo o que tínhamos. Queria que a Jamila tivesse uma vida saudável mas não fomos capazes de conseguir salvá-la”.

Uma situação que algumas ONGs atribuem a um alegado “fracasso da diplomacia internacional” em pôr termo ao conflito que mina o país há mais de dois anos.

“Meio milhão de crianças sofrem neste momento de desnutrição grave. E é quase um eufemismo uma vez que estão à beira de morrer de fome. Meio milhão e este número continua a aumentar. E não é apenas em certas áreas do país. Está a acontecer no norte, no oeste, leste e no sul do território”,a firma Jan Egeland da ONG Norwegian Refugee Council.

Em paralelo às restrições atuais, o responsável do Programa Alimentar Mundial alertou para o risco que o conflito militar possa levar ao encerramento do porto de Hodeida, por onde circulam 99% das importações do Iémen.

Segundo a ONU, a falta de acesso a ajuda humanitária é a causa direta da morte de uma criança de menos de cinco anos a cada dez minutos no país.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Debandada em evento religioso na Índia mata mais de 100 pessoas

Dois soldados israelitas mortos em ataque do Hamas na Faixa de Gaza

Líder do Malawi pede investigação independente à morte do vice-presidente em acidente de aviação