EventsEventosPodcast
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Venezuela: 50 dias de protesto contra Nicolás Maduro

Venezuela: 50 dias de protesto contra Nicolás Maduro
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
PUBLICIDADE

Milhares de venezuelanos, em várias cidades do país, saíram às ruas, este sábado, marcando 50 dias de protesto contra o regime de Nicolás Maduro.

Estima-se que só em Caracas, mais de 200 mil pessoas marcharam contra o presidente que não retrocede na sua proposta de convocar uma Assembleia Nacional Constituinte.

#May20 incredible demonstration of Venezuelan in the main highways of Caracas. #MaduroDICTADORpic.twitter.com/U4caKnjqr4

— Angelo Torrealba (@angeloTJ) May 20, 2017

Para o líder da oposição, Henrique Capriles, “estes 50 dias têm sido, praticamente, um massacre contra o povo da Venezuela” e assegura que “no dia 50, no meio de mais opressão, há mais resistência e mais luta pela Venezuela”.

Os protestos degeneraram, mais uma vez, em confrontos entre os contestatários, os chavistas e as forças policiais.

Young musicians ask police forces to stop repression in #Caracas. Police responded with teargas #Venezuela#M20pic.twitter.com/yZXXWmCAk0

— zαиє✮яєвєℓ (@ZaneRebel) May 21, 2017

Segundo a oposição, desde 1 de abril, altura em que começaram os protestos, pelo menos 50 pessoas morreram, 1300 ficaram feridas e cerca de duas centenas foram julgadas em tribunais militares.

Milhões de venezuelanos estão furiosos com o Governo de Maduro, culpando-o pela inflação crescente, a escassez de tudo (desde alimento aos medicamentos) e pela repressão aos Direitos Humanos.

Os contestatários exigem eleições gerais e a libertação dos presos políticos

O Governo afirma que os manifestantes estão a tentar fomentar um golpe de Estado sob a retórica pró-democracia.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Guiana: Presidente venezuelano assume controlo da exploração de crude e gás da região de Essequibo

Mega-operação para retomar controlo de prisão

"Diabos" saem às ruas na Venezuela