Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Emirados negam ter pirateado o Qatar

Emirados negam ter pirateado o Qatar
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Os Emirados Árabes Unidos negam estar na origem da crise diplomática com o Qatar ao rejeitar as novas revelações de que o país teria pirateado a página internet da agência de notícias de Doha.

O jornal Washington Post cita fontes dos serviços secretos norte-americanos que asseguram que Abu Dabi teria planeado um ataque informático para falsificar as declarações do emir do Qatar que inflamaram a crise no início de Junho.

Na citação, publicada em Maio e desmentida pelo governo, o emir defendia publicamente o Hamas e o Irão, levando a Arábia Saudita e os países vizinhos a cortar relações por alegado apoio ao terrorismo.

As alegações do Washington Post surgem num momento em que a crise se encontra num impasse. O ministro dos Negócios Estrangeiros francês, Jean-Yves Le Drian, deslocou-se a Abu Dabi para apelar à retoma das negociações, quando os Emirados exigem uma mediação internacional, assegurando querer ver “uma mudança de atitude e não de regime”.

Doha rejeita as acusações de financiamento do terrorismo e de ligações ao Irão, o principal rival regional do regime saudita, tendo recusado aceder à lista de 13 exigências sauditas para pôr fim à crise, uma das quais se refere ao encerramento do canal de notícias internacional Al-Jazeera.