EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Justiça turca rejeita libertar presidente da Amnistia Internacional

Justiça turca rejeita libertar presidente da Amnistia Internacional
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Tribunal mantém detenção de Idil Eser e outros cinco militantes dos direitos humanos acusados de pertencerem a uma organização terrorista.

PUBLICIDADE

A Justiça turca ignora os apelos internacionais ao manter a prisão de seis militantes dos direitos humanos, entre os quais Idil Eser, a presidente da organização Amnistia Internacional no país.

Dez ativistas tinham sido detidos no início do mês durante uma ação de formação em Istambul.

O ministério público turco decidiu esta noite não libertar seis deles, acusados de pertencerem a uma organização terrorista. Quatro foram colocados em liberdade condicional à espera de julgamento.

Na semana passada, o presidente Tayyip Erdogan tinha sugerido uma ligação entre as atividades das ONGs e o golpe falhado do ano passado.

A Amnistia Internacional reagiu esta manhã, ao condenar o que considera um “simulacro de justiça”.

Ancara deteve mais de 50 mil pessoas no último ano, entre militares, académicos, jornalistas e figuras da oposição, acusados de apoio à tentativa de golpe. Entre os seis militantes detidos encontram-se dois formadores da Amnistia Internacional de nacionalidade alemã e sueca.

O Conselho da Europa, do qual faz parte a Turquia, tinha já apelado à libertação imediata dos militantes.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Líderes dos rivais regionais Grécia e Turquia reúnem-se para estreitar relações

Responsáveis da discoteca que ardeu em Istambul detidos para interrogatório

Incêndio em discoteca de Istambul faz dezenas de mortos