EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Bruxelas lança procedimento contra a Polónia

Bruxelas lança procedimento contra a Polónia
Direitos de autor 
De  Antonio Oliveira E Silva
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Comissão Europeia diz que reformas na Justiça polaca colocam em risco independência dos tribunais.

PUBLICIDADE

A Comissão Europeia abriu um procedimento contra a Polónia depois da aprovação de um conjunto de reformas judiciais que poderia, segundo Bruxelas, atentar contra a independência dos tribunais do país.

“A Comissão Europeia lançou um procedimento por infração contra a Polónia, através de uma carte formal de notificação, depois da publicação, no Boletim Oficial Polaco, a Lei relativa à organização das jurisdições de direito comum na sexta-feira, dia 28 de julho”, indicou Bruxelas, em comunicado.

Poland : infringement procedure over measures affecting judiciary launched. Polish authorities have 1 month to reply https://t.co/DE8Das9XNX

— European Commission (@EU_Commission) 29 de julho de 2017

Varsóvia tem, a partir de agora, um mês para responder à carta enviada pela Comissão e, caso não o faça de forma considerada satisfatória pela UE, poderá a ser objeto de um processo no Tribunal de Justiça da União Europeia (TJUE). A reação do Executivo polaco não se fez esperar. O vice-ministro dos Negócios Estrangeiros (Relações Exteriores), Konrad Szymanski, classificou a decisão da CE como “sem fundamento”, porque, na nova lei, todas as garantias procedimentais e os meios disponíveis para os cidadãos serão aplicadas.

Press release – European Commission acts to preserve the rule of law in Poland https://t.co/3YtkaHJlZ0

— Frans Timmermans (@TimmermansEU) 26 de julho de 2017

Para Bruxelas, a nova lei incorpora medidas que a CE considera discriminatórias, com idades diferentes de acesso à reforma para homens e mulheres. Por outro lado, a reforma permite ao ministério polaco da Justiça extender o mandato de juízes que tenham atingido a idade da reforma, se assim o desejar. O processo, que se encontra ainda na fase inicial, poderia levar a Polónia a perder o direito de voto no Conselho da União, caso seja acionado o Artigo sete do Tratado de Lisboa.

Presidente veta duas das três leis da reforma da Justiça

O presidente da República, Andrzej Duda, vetou duas das três polémias leis do Governo da primeira-ministra Beata Sidlo, do partido Lei e Justiça, formação de direita nacionalista e eurocética.

Entretanto, o vice-presidente da CE, Frans Timmermans, voltou a convidar os ministros polacos dos Negócios Estrangeiros (Relações Exteriores), Witold Waszczykowski, e da Justiça, Zbigniew Ziobro para virem a Bruxelas, para dar início ao que definiu como “um diálogo construtivo”, sem obter qualquer resposta.

Our Recommendation gives a clear indication of what actions by the Polish authorities would bring us to Article 7.

— Frans Timmermans (@TimmermansEU) 26 de julho de 2017

Em 2016, a reforma da Justiça Constitucional, levada a cabo por Varsóvia, motivou a abertura, da parte de Bruxelas, de outro procedimento para “avaliar o Estado de Direito” polaco, procedimento que se encontra ainda em curso. As reformas do Governo Sidlo têm merecido os protestos da oposição e de movimentos cívicos nas ruas. As manifestações nas principais cidades polacas foram das mais importantes dos últimos tempos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Renew Europe pode sofrer uma perda brutal de deputados nas eleições europeias

Irlanda reconhece Palestina para "manter viva a esperança", diz primeiro-ministro irlandês

Extrema-direita cresce em toda a Europa. O que pode acontecer?