Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Donald Trump anuncia requisitos para nova imigração nos EUA

Donald Trump anuncia requisitos para nova imigração nos EUA
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A administração Trump apresentou esta terça-feira em conferência de imprensa, através do Presidente e dois senadores republicanos, Tom Cotton e David Perdue, o RAISE (Reforming American Immigration for Strong Employment) Act, a nova lei de imigração que visa reduzir o número de entrada de imigrantes nos Estados Unidos a cada ano.

Por ano são atribuídos mais de um milhão de green cards (vistos de residência e trabalho), mas Trump afirmou estar disposto a mudar as regras para que o tipo de imigração mude também.


A exigência do domínio do idioma, a capacidade académica e laboral e a garantia de preparação para a auto-suficiência no país são algumas das alterações referidas por Trump, que disse também que esta nova lei, que espera ver aprovada em Congresso, foi desenhada para poder voltar a “dar à América a grandeza” que a administração Trump promete desde a campanha eleitoral e reforçar uma outra, a de voltar a ter uma América produtora e não largamente importadora.

O objetivo é cortar em 50 por cento, nos próximos dez anos, o número de imigrantes no país. A lei, uma versão revista da que foi apresentada em fevereiro, muda o sistema de atribuição dos chamados green cards ou vistos de residência.

“Este processo competitivo de candidatura favorecerá candidatos que falem Inglês, se sustentem financeiramente e às famílias e demonstrem capacidade para contribuir para a nossa economia”, declarou o Presidente em conferência de imprensa, na Casa Branca.

Trump acrescentou que a lei assegurará deste modo a assimilação, o sucesso e o atingir por parte dos imigrantes do sonho Americano.

O novo processo de candidatura muda do paradigma de favorecer os que já têm família no país para se centrar no contributo individual face aos Estados Unidos.

Uma outra alteração é a eliminação do Programa de Vistos de Diversidade Imigrante, um programa aleatório que permite a cerca de 50 mil pessoas residir permanentemente nos Estados Unidos a cada ano.

Há ainda um longo caminho a percorrer antes da aprovação da lei, que já foi criticada em fevereiro, inclusive por republicanos, quando apresentada pelos dois senadores a que Donald Trump agora se aliou.