EventsEventos
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Avanço extraordinário da manipulação genética em embriões humanos

Avanço extraordinário da manipulação genética em embriões humanos
Direitos de autor 
De  Luis Guita
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

Cientistas norte-americanos e sul coreanos conseguiram modificar genes responsáveis por doença cardíaca em embriões humanos, pela primeira vez.

PUBLICIDADE

Cientistas norte-americanos e sul-coreanos conseguiram modificar genes responsáveis por doença cardíaca em embriões humanos, pela primeira vez.

Na investigação, realizada no Centro para Células Embrionárias e Terapia de Genes da Universidade de Ciência e Saúde de Oregon, foi usada uma tecnologia conhecida como CRISPR, que abre novas fronteiras na medicina genética, graças à sua capacidade de modificar genes de forma segura e eficiente.

Os cientistas conseguiram corrigir uma mutação no ADN que provoca a cardiomiopatia hipertrófica. A doença atinge 1 em cada 500 pessoas e é das causas mais comuns para paragens cardíacas súbitas entre os jovens.

O trabalho pioneiro é um marco para a comunidade científica e pode impedir que as próximas gerações sofram de cardiomiopatia hipertrófica.

As aplicações em medicina são vastas e incluem a possibilidade de erradicar defeitos genéticos que estão na origem de doenças como o cancro da mama.

Contudo, os extraordinários avanços científicos que permitem modificar genes em embriões humanos para fins terapêuticos colocam muitas dúvidas éticas em cientistas e especialistas.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

China poderá ter os primeiros bebés geneticamente modificados

Investigadores pedem mais investimento na ciência aos candidatos às eleições

Quatro astronautas já chegaram à Estação Espacial Internacional em nova missão da NASA e Space X