EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Mossul em ruínas

Mossul em ruínas
Direitos de autor 
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A icónica mesquita de Al-Nuri, no centro histórico e onde o líder do autoproclamado Estado Islâmico, Abu Bakr al-Baghdadi, proclamou o califado em 2014, está reduzida a escombros.

PUBLICIDADE

Destruição e morte.

É este o cenário que os milhares de iraquianos encontram quando regressam às suas casas, em Mossul, após as forças governamentais terem reconquistado a cidade.

A icónica mesquita de Al-Nuri, no centro histórico e onde o líder do autoproclamado Estado Islâmico, Abu Bakr al-Baghdadi, proclamou o califado em 2014, está reduzida a escombros.

A NYT photojournalist documented the devastating toll within ISIS’s last holdout area in Mosul’s Old City https://t.co/eWE1wEVA0Spic.twitter.com/raSkyhKoh0

— The New York Times (@nytimes) August 1, 2017

Os residentes de Mossul pedem, agora, o apoio de Bagdade para reconstruírem a cidade.

“Já viram alguém a viver em casas como estas? Não é possível. Há cadáveres no interior e o cheiro é terrível. No mínimo, o Governo deveria remover este lixo”, pede um dos habitantes da zona ocidental da cidade.

No hospital de Mossul, a Cruz Vermelha Internacional presta tratamento médico a milhares de adultos e crianças. Muitos foram obrigados a combater.

A city shattered by war: Humanitarian assistance is just the beginning of bringing #Mosul back to life. pic.twitter.com/SIF8SAlkP7

— ICRC (@ICRC) August 2, 2017

“Tenho uma bala de metralhadora. Quero lutar e participar na guerra”, afirma o pequeno Galid Khalaf, seis anos.

Segundo as autoridades, alguns combatentes do Daesh estão ainda entrincheirados nos escombros.

Mais de dois mil jihadistas permanecem na região.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Iraque: Incêndio num casamento faz mais de uma centena de mortos entre eles os noivos

Ressurgimento do terrorismo no Mali

Encontradas gravuras com 2700 anos no Iraque